Bairro Inteligente

Confira 6 regras de convivência necessárias para viver em harmonia com a vizinhança!

As regras de convivência são muito importantes para que possamos conviver em harmonia com nossos vizinhos.

Urba
Postado em 23/06/2021

As regras de convivência são muito importantes para que possamos conviver em harmonia com nossos vizinhos. Afinal, além de ajudar no desenvolvimento de uma comunicação efetiva, ela pode trazer uma série de benefícios para a nossa vida social e estreitar os nossos laços de quem mora perto da gente. 

Quando criamos um senso de comunidade, é mais fácil para fazer novas amizades e ter uma rede de apoio para todos os momentos. Para as crianças, isso é ainda mais importante, já que elas podem firmar laços de amizade, capazes de serem mantidos por muitos anos, o que ajuda na socialização.  

Sendo assim, é essencial colaborar com as regras de convivência, ensinando mais sobre respeito ao espaço e aos direitos dos outros. Quer conviver bem com seus vizinhos? Veja algumas dicas que separamos! 

Melhores regras de convivência para se dar bem com a vizinhança

As regras de convivência são necessárias e devem ser utilizadas com todos os que estão a nossa volta e, principalmente, aqueles que convivem diariamente conosco. Afinal, o respeito, o diálogo e a paciência são a base de qualquer relacionamento — e se você se dedicar a esses princípios, poderá ter gratas surpresas, como boa convivência e até mesmo amizades importantes em todas as fases da vida. Veja algumas dicas e saiba por onde começar! 

1. Conheça e respeite as regras 

Quem vive em condomínio, deve estar ainda mais atento a essa questão, pois existem regras que devem ser seguidas — como a questão do barulho fora do horário permitido, do bom uso das áreas comuns, das visitas etc. 

Mas mesmo quem está fora de um condomínio precisa ter conhecimento dessas regras, por exemplo sobre a lei do silêncio. Cada cidade tem sua própria legislação sobre o assunto, porém, é educado evitar muitos barulhos em determinados horários, como depois das 22h. 

O mesmo vale para a coleta de lixo, com dias certos para o caminhão passar. Jogar lixo na calçada ou na lixeira do vizinho, não é uma boa prática, pois poderá causar discórdia. Nos dias em que a coleta é feita, o melhor a ser feito é se programar para colocar o lixo nesses dias, seguindo as regras. 

2. Cuidado com as áreas compartilhadas 

Alguns bairros contam com diferentes estruturas de lazer, como quadras, praças e outros locais públicos, assim como os condomínios contam com áreas ao ar livre, academias, playgrounds etc. Entender que essas são áreas usadas por todos os moradores e que, portanto, merecem zelo e cuidado é importantíssimo quando falamos sobre regras de convivência. 

É fundamental orientar, principalmente, as crianças, nesse sentido — explicando a importância de cuidar e zelar do patrimônio público, para que todos possam usufruir do espaço com as melhores condições de higiene e de conservação. Dessa forma, evita-se a depredação desses espaços, e é possível garantir melhor qualidade de vida a todos os moradores. 

3. Atenção ao barulho 

Nós já citamos a lei do silêncio na primeira dica, mas essa é uma questão tão emblemática — e que gera tantas reclamações entre os vizinhos, que merece um tópico exclusivo. 

É muito importante lembrar que o seu direito acaba quando começa o do outro — e, para entender isso, é preciso se colocar no lugar do próximo. Mesmo nos horários permitidos pela lei, não significa que você poderá fazer o barulho que desejar. Som alto, tom de voz muito elevado, festas e barulhos em geral costumam ser as principais razões para as brigas e desentendimentos entre vizinhos. 

Mesmo que você goste muito de uma música, pode ser que o vizinho não compartilhe do seu gosto. Pode ser que seu vizinho esteja em um momento complicado, precisando descansar durante o dia após trabalhar à noite ou até se recuperando de uma enfermidade, tentando estudar — enfim, barulhos excessivos podem incomodar seu vizinho. 

4. Exercite a paciência 

Conviver em sociedade exige ter paciência. Afinal, cada pessoa é única e não compartilha dos mesmos hábitos e preferências que nós. Mesmo seguindo as regras de convivência, você poderá acabar passando por momentos delicados e, nessas horas, a paciência é fundamental. 

Evite discussões e não deixe a raiva tomar conta. Não dê respostas atravessadas no calor da emoção. Vale a pena respirar, pensar sobre o assunto e, mais tarde, ir conversar com o vizinho, tentando resolver a situação de maneira amigável. 

vizinhas conversando na área comum sobre regras de convivência

5. Conheça seus vizinhos 

A melhor maneira de transformar vizinhos em amigos é conhecendo-os. Afinal, como vivemos em uma sociedade em que as pessoas estão cada vez mais atarefadas e sem tempo para se conectar com as outras, muitos de nós acabam não conhecendo seus vizinhos ou nem sabendo o nome deles. 

Quando encontrar seu vizinho, que tal cumprimentá-lo? Caso tenha acabado de se mudar, poderá se apresentar ou enviar algum mimo para o vizinho, como um bolo ou bolachas feitas por você e um cartão de apresentação. Se algum vizinho acabou de se mudar, faça você a gentileza, apresente-se e leve algum mimo para o novo morador. 

Mesmo quem é mais reservado pode ter esse contato, que será bastante benéfico. Afinal, pode ser que você tenha de resolver alguma situação — e conhecendo a vizinhança, será mais fácil lidar com ela. Não é preciso forçar nenhuma amizade, só tente ser simpático e solícito

6. More em um bairro inteligente 

Um bairro inteligente é um jeito novo de morar e que favorece bastante a boa vizinhança. Um exemplo de um bairro como esse é o Smart Urba, pensado e desenvolvido para favorecer o contato das pessoas e também a conexão com a natureza. 

Em termos de boa convivência, o Smart Urba conta com vários atrativos. Por exemplo, o espaço reservado para a Associação de Moradores, contando com a presença do Gestor Social — responsável por prezar pelo cumprimento das regras de convivência.  

O gestor é capaz de auxiliar no cultivo do bom convívio entre as pessoas, do cuidado e na manutenção das áreas comuns, na realização de atividades em grupo e no bom funcionamento e desenvolvimento do bairro.  

Mas não é só isso. Os bairros inteligentes são inspirados no conceito das Smart Cities e, por isso, oferecem tudo que o morador precisa para ter mais qualidade de vida e bem-estar. Com o planejamento inteligente, você terá muito mais espaços para aproveitar a natureza, se exercitar e se conectar com seus vizinhos, vivenciando o senso de comunidade.  

Além disso, há a presença do aplicativo do bairro, que permite ter mais contato com a sua vizinhança, ficar por dentro de todas as novidades e acessar descontos nos comércios locais. Ainda, outro ponto positivo é a presença das ciclovias, capazes de, literalmente, encurtar a distância entre as pessoas e favorecer o convívio no bairro. 

Depois de ver todas essas regras de convivência e os benefícios de viver em um bairro inteligente, que tal conhecer um pouco mais sobre o Smart Urba e entender os benefícios que ele pode trazer para você e sua família? Acesse a nossa página do Smart Urba

Posts Relacionados

Projeto paisagismo: um guia para você trazer a beleza da natureza para dentro da sua casa na prática

Urba
27/08/2021
leia agora
Whatsapp