Bairro Planejado

Quanto custa construir uma casa? Saiba o que incluir nos seus cálculos

O sonho da casa própria faz parte da realidade de muitos brasileiros.

Urba
Postado em 28/04/2020

O sonho da casa própria faz parte da realidade de muitos brasileiros. Sair do aluguel e ter um lar é o que move inúmeras pessoas a continuarem poupando para depois desfrutar de tudo que uma casa própria pode proporcionar. Nesse momento, contudo, uma dúvida é recorrente: quanto custa construir uma casa?

Essa é uma dúvida importante que interfere diretamente no orçamento familiar e sobre a qual abordaremos em detalhes neste conteúdo. 

Por que construir a casa própria?

Existem muitas formas de conquistar o sonho da casa própria. E um dos mais procurados é construí-la de acordo com os seus desejos e expectativas. Antes de falarmos sobre os números referentes a essa decisão, que tal conhecer alguns dos benefícios de construir a própria casa?

Possibilidade de personalização

Ao construir a sua casa será possível personalizá-la do jeito que quiser. Para isso, você pode entrar em contato com um arquiteto ou buscar referências na internet. Pense em quais são as suas necessidades do dia a dia, como é o seu estilo de vida. Assim, defina a quantidade de cômodos, as cores das paredes, os tipos de revestimentos e os modelos de janelas e portas, por exemplo.

Dessa forma, a cozinha tão sonhada será construída, assim como a área de lazer e os outros cômodos. Pense que este será o seu lar para o resto da vida. Então, o construa do jeito que sempre sonhou para que seja um prazer chegar em casa e curtir cada espaço.

Garantia de qualidade

Quando se compra uma casa pronta dificilmente ela vai ser do jeito que sonhamos, porque ela foi construída para a necessidade de outras pessoas, que são diferentes da sua. Além disso, a casa pode apresentar problemas estruturais e depreciação do tempo.

 Assim, conseguimos construir a casa com materiais do nosso gosto e de mais qualidade para que ela resista por muito tempo sem precisar de reforma.

Economia e valorização do bem

A liberdade de escolha dos materiais e os acabamentos podem gerar economia, pois você adquire aqueles que têm um melhor custo-benefício. Além disso, quando se compra uma casa pronta, em seu valor já está incluído a sua valorização. 

Todos esses fatores contribuem para que o valor final diminua e seja mais baixo construir do que comprar uma casa pronta. Aliás, construir sua casa própria pode proporcionar uma economia de até 30% em comparação ao valor de compra de um imóvel pronto.

Outro ponto é que, ao construir sobre um terreno, há a valorização do imóvel. E, se um dia você precisar vender por algum imprevisto, conseguirá um valor melhor.

Aproveitar o ambiente com a família e amigos

Todos os fatores que citamos até agora se tratam apenas das questões materiais, mas há também benefícios afetivos, como proporcionar um lar que ofereça mais qualidade de vida, conforto e com mais espaço para os filhos brincarem. Assim, eles terão boas memórias da casa em que cresceram.

Além disso, é possível construir um espaço de lazer, com churrasqueira e área gourmet para convidar os amigos e família para um churrasco no final de semana. Confraternizar na própria casa e ter espaço adequado para isso proporciona bem-estar e aproxima as pessoas.

Sabemos agora dos principais benefícios, mas você já fez um cálculo do quanto custa construir uma casa? A seguir, veremos quais são os cálculos que precisam ser considerados e um valor aproximado de quanto custará a casa própria.

Quanto custa construir uma casa?

homem calculando quanto custa construir uma casa

A seguir, confira quais os principais cálculos que precisam ser considerados para se conquistar o lar dos sonhos.

Compra do terreno

Além da casa, é preciso pensar que é necessário ter um terreno próprio. A compra do terreno é um passo muito importante, pois é aqui que você escolhe onde morar. É o primeiro passo a ser dado para a sua felicidade e as melhores lembranças do local onde será seu lar.

Uma dica é escolher um terreno em um bairro planejado. Esse espaço, como o próprio nome sugere, tem um planejamento, desde a parte de saneamento básico até o lazer. Um bairro planejado já costuma ter áreas dedicadas para lazer, área de comércio e área residencial. 

Dessa forma, você terá uma vida tranquila na sua casa própria e terá tudo o que mais precisa à disposição. Algo que não pode contar se o terreno estiver localizado em um bairro sem nenhum planejamento e estrutura.

Arquiteto

O ideal seria contratar um arquiteto para auxiliá-lo no planejamento da sua casa. Com base nas necessidades da sua família, ele faz todo o projeto, desde a fundação até os acabamentos. Para isso, normalmente, ele conta com o apoio de um engenheiro civil, pois a parte estrutural deve ser feita por outro profissional. 

Há diferentes formas de um arquiteto cobrar para a realização do projeto. Para esse cálculo ele considera o tamanho do projeto e o grau de dificuldade em fazê-lo. Então, o valor final dependerá desses fatores e também do valor por hora trabalhada do próprio arquiteto. A dica é fazer um orçamento com três profissionais para se ter uma base.

Porém, você também pode definir a planta da casa, bem como os acabamentos, junto do pedreiro ou da empreiteira que for realizar a obra. Isso gera economia, por não precisar contratar um arquiteto.

Materiais para a construção da casa

O valor investido em materiais para a construção varia muito, pois depende de inúmeros fatores, como a qualidade do material, o padrão da casa e o tamanho dela. Abaixo vamos detalhar um pouco sobre os materiais utilizados para construir uma casa de alvenaria:

Fundação

Na fundação é utilizado muito cimento, areia, brita, ferragens e madeira para fazer as caixarias. Por isso, é importante avaliar se é mais econômico comprar o cimento pronto de uma empresa ou comprar o cimento em sacas e prepará-lo em casa.

Nesse cálculo, considere a mão-de-obra utilizada, pois se leva-se muito mais tempo para preparar uma grande quantidade de cimento, mesmo utilizando uma betoneira, do que comprá-lo pronto.

Estrutura

Os materiais utilizados para fazer a estrutura da casa não se diferem muito dos que são usados na fundação. Entre os principais materiais para essa parte da casa estão a areia, o cimento, a cal, os tijolos, a armação, as telhas e os materiais elétricos e hidráulicos.

Uma forma de não se ter desperdício de material e, consequentemente, de dinheiro, é comprar o cimento, cal e a areia aos poucos, ou ter um bom lugar de armazenamento para esses materiais. Isso porque, o cimento ao entrar em contato com a umidade começa a endurecer. Já a areia, se estiver exposta ao tempo, pode ser levada pela chuva e pelo vento.

Os tijolos, desde que bem armazenados, podem ser comprados na quantidade que se precisa para fazer toda a casa. Aliás, peça para o pedreiro ou empreiteira calcular a quantidade de materiais que precisam ser comprados para construir a sua casa. Assim, você compra a quantidade certa de material.

A armação, telhas e os materiais elétricos e hidráulicos não precisam ser comprados no início da obra. Deixe para comprá-los perto da sua utilização. Assim, não precisa se preocupar com o armazenamento deles.

Acabamento

No acabamento são incluídos todos os materiais que vão ficar mais aparentes em sua casa, como piso, portas, janelas, torneiras, luminárias, azulejo, móveis para o banheiro e a tinta. 

Sendo assim, quanto mais alta for a qualidade desses itens, menos você vai se preocupar em ter que fazer reparos após a obra. Porém, consequentemente, o valor aumenta proporcional à qualidade do material. O mesmo se dá para os materiais da fundação e estrutura.

Por isso, é preciso colocar primeiro na lista os itens essenciais, como cimento, areia, ferro, tijolos, telhas e outros estruturais. Depois, de acordo com o orçamento que se tem, vá incluindo os revestimentos e acabamentos que se deseja. Se notar que o valor ultrapassa o orçamento, é preciso reduzir os custos, substituindo determinado material por outro de menor valor, mas sem comprometer a qualidade e o visual da casa.

Mão-de-obra

Além do material, considerar o valor da mão-de-obra para calcular o custo de construir a casa própria é essencial. Saiba que há quatro formas para contratar os profissionais que irão construir sua casa:

  • contratar uma construtora;
  • contratar um profissional junto de uma pequena equipe;
  • o arquiteto ter sua própria equipe de profissionais;
  • a empresa que cuida do bairro planejado conecta com parceiros.

No caso da construtora, você paga um valor fixo acrescido do valor dos materiais e a própria construtora gerencia a obra. Já quando você contrata um profissional junto com uma pequena equipe, é você quem gerencia a obra.

No caso do arquiteto ter sua própria equipe de profissionais, é ele quem se responsabilizará por gerenciar a obra. E por fim, a empresa que gerencia o bairro planejado, em que você comprou o lote, consegue indicar fornecedores que contam com excelente preço, processo rápido, projetos personalizados e aprovados na prefeitura.

Então, escolha a opção que melhor couber no seu bolso e que é mais conveniente para você e sua família. Saiba que gerenciar uma obra exige tempo e dedicação. Por isso, se você não tem muito tempo livre, prefira a primeira ou a terceira opção.

Orçamento de obra

Certo, mas e os valores? Será que é possível calcular previamente o valor final de quanto custa construir a própria casa? Sim, é possível. 

Há uma norma (NBR 12.721) que estipula um preço para projetos padrão. Nessa norma, as construções são categorizadas por baixo, normal e alto padrão. Por exemplo:

  • R-1 - B: residência de baixo padrão de 1 pavimento, com 2 dormitórios, cozinha, banheiro, sala e área para tanque;
  • R-1 - N: residência de padrão normal de 1 pavimento, com 3 dormitórios, sendo que um é uma suíte com banheiro, sala, circulação, banheiro social, área de serviço com banheiro, cozinha e varanda ou garagem para automóvel;
  • R-1 - A: residência de alto padrão de 1 pavimento, com 4 dormitórios, sendo que um é uma suíte com banheiro e closet, e outro com banheiro, sala de estar, sala de jantar, circulação, sala íntima, banheiro social, área de serviço completa, cozinha e varanda ou garagem.

Sendo assim, para o estado de São Paulo, em fevereiro de 2019, o valor por metro quadrado para cada um desses três tipos de residência era de:

  • R-1 - B: R$1.357,34;
  • R-1 - N: R$1.682,33;
  • R-1 - A: R$2.014,85.

A partir desses dados, é só fazer o cálculo do quanto custaria a construção da sua casa em São Paulo. Por exemplo, se a sua casa terá 100 m² e é uma casa de padrão normal, o valor médio para a construção será de R$168 mil. 

A tabela com o valor por estado do metro quadrado pode ser acessada no site Custo Unitário Básico, um indicador dos custos do setor da construção civil. Experimente você mesmo fazer esse cálculo e descubra quanto custa construir uma casa. 

Neste conteúdo, nós lhe ensinamos a fazer alguns cálculos para descobrir quanto custa construir uma casa. É claro que tudo dependerá do seu projeto e dos seus desejos e sonhos. Mas ter em mente essas dicas, já ajudará a tirar as ideias do papel.

Você está na etapa da compra do terreno? Então, acesse nosso artigo sobre como comprar terreno e saiba o passo a passo para garantir o local ideal para construir seu lar.

Posts Relacionados

Saiba por que esse é o momento certo de comprar lote para o seu futuro lar 

Urba
09/04/2020
leia agora

Saiba como comprar um terreno perfeito para construir sua casa dos sonhos

Urba
26/11/2019
leia agora

Por que optar por um bairro planejado pela Urba?

Urba
10/10/2019
leia agora
Feirão Online Urba

Feirão Online

ChatWhatsapp
Whatsapp