Bairro Inteligente

Projeto paisagismo: um guia para você trazer a beleza da natureza para dentro da sua casa na prática

Viver em um ambiente rodeado de natureza é muito mais inspirador.

Urba
Postado em 27/08/2021

Viver em um ambiente rodeado de natureza é muito mais inspirador. É neste ponto que o paisagismo ganha força, criando ambientes encantadores e funcionais. Com essas criações paisagísticas, é possível aumentar o contato das pessoas com a natureza, o que resulta em muito mais qualidade de vida e bem-estar.

Quer investir em um projeto de paisagismo para a sua casa? Veja todas as dicas que separamos!

O que é paisagismo?

O paisagismo, dentro da arquitetura e urbanismo, vai muito além dos projetos de jardins e praças. Ele consiste em uma técnica apurada que visa criar áreas paisagísticas que podem, inclusive, substituir espaços afetados pela urbanização desordenada.

Dessa forma, a principal missão do paisagismo é recompor espaços geográficos e organizar a paisagem, criando condições de uso pelo público, mesclando conhecimentos de botânica, ecologia, cores, formatos e costumes da região. Os resultados são espaços harmoniosos e agradáveis voltados para a convivência.

Qual a finalidade do paisagismo?

Os principais objetivos do paisagismo são melhorar a funcionalidade estética, o conforto, a segurança e a privacidade dos espaços exteriores (ou até mesmo interiores, dependendo do projeto).

Assim, a ideia é desenvolver ambientes harmônicos, permitindo a interação do ser humano com a natureza, criando uma convivência melhor com o meio ambiente. Hoje, essa função é extremamente técnica, e o paisagista pode ser um arquiteto, engenheiro, botânico ou outro profissional especializado.

A arquitetura paisagística é uma possibilidade de especialização dentro da Arquitetura. Esse profissional é responsável não apenas por pontuar os elementos naturais, mas, também por harmonizar elementos geográficos, hidrográficos, bióticos e humanos em seus projetos, mesclando com elementos construtivos.

Dessa forma, um projeto paisagista é minimamente invasivo à natureza, e visa criar uma estética homogênea e equilibrada, que considere componentes importantes da paisagem urbana, como as áreas construídas, a vegetação, a presença de espaços livres e a circulação de pessoas.

Quais são as principais técnicas do paisagismo?

As técnicas do paisagismo dependerão muito das características do ambiente, pensando em soluções para espaços abertos ou fechados. Separamos algumas técnicas que podem ser usadas em diferentes projetos.

Paisagismo em jardins externos

Nas áreas externas, o paisagista deve sempre considerar qual será a função do ambiente e as características das pessoas que usarão esta área. Assim, o primeiro passo deve ser conhecer a fundo as características do ambiente, entendendo quais plantas vão se adaptar melhor, considerando pontos como:

  • frequência de chuvas;
  • incidência de luz solar;
  • tipo de solo;
  • umidade do ambiente.

Após essa primeira etapa, outras técnicas são bem importantes.

Inclusão de elementos estéticos e funcionais

Além das plantas, um bom projeto paisagístico inclui outros elementos que ajudam a interagir com o espaço, criando áreas de permanência. Para isso, vários recursos podem ser usados, como:

  • pergolados;
  • gazebos;
  • bancos;
  • outros móveis de jardim.

É claro que essa mobília deverá ser pensada, também, de acordo com as características do ambiente — buscando por materiais capazes de suportar as intempéries.

Caminhos

Os caminhos também ajudam a integrar as pessoas à natureza, permitindo que todos possam aproveitar o espaço sem pisar nas plantas. Além disso, dependendo das cores e texturas usadas, é possível criar contraste visual, deixando o ambiente ainda mais harmônico.

São muitos os materiais que podem ser usados nesses caminhos, como cerâmicas, pedras soltas, cimentícios etc. O mais importante é que essas rotas sejam acessíveis, criando uma possibilidade real de uso e interação com o espaço criado.

Texturas diversificadas

Uma das técnicas de paisagismo mais usadas é a combinação de diferentes texturas, por exemplo, entre plantas e folhagens de diferentes espécies, tecidos, móveis, pedras e etc.

Todas essas texturas favorecem a criação de um ambiente extremamente aconchegante e convidativo, para que as pessoas sintam vontade de permanecer um tempo nesse espaço. A escolha dos materiais e das texturas usadas dependerá dos objetivos do espaço e das características de quem usará esse ambiente.

Água

A presença da água nos projetos paisagísticos ajuda a trazer conforto e umidade, com um som tranquilizante. Ela pode aparecer em diversas possibilidades, criando cenários incríveis, favorecendo a contemplação e o relaxamento. O elemento pode estar presente de diferentes maneiras, como espelhos d’água, fontes, lagos ou piscinas.

Iluminação

É importante que o ambiente possa ser desfrutado em diferentes horas do dia — e da noite. Por isso, um projeto adequado de iluminação favorece o conforto e também ajuda a destacar detalhes.

Lâmpadas ao longo dos caminhos e próximas às plantas mais importantes ajudam a criar esse destaque, mas também é possível iluminar as fontes de água e outros aspectos do espaço.

Espaços úteis

Como explicamos ao longo deste conteúdo, o paisagismo não está relacionado apenas à criação de jardins, mas também de espaços úteis, que possam ser aproveitados pelas pessoas e que favoreçam o contato com a natureza.

Por isso, essas áreas projetadas precisam considerar as características dos moradores que usarão o ambiente. Sendo possível a inclusão de espaços para as crianças, bancos, área de meditação, local destinado à prática de atividade física, redes para descanso etc.

Ambientes fechados

O paisagismo não se refere apenas à criação de ambientes abertos. Dentro das residências ou dos espaços comerciais, também é possível trazer um detalhe natural que fará toda a diferença na qualidade de vida e bem-estar das pessoas.

Nessas situações, é ainda mais importante o conhecimento técnico do profissional, selecionando as espécies capazes de suportar as condições de incidência solar, umidade e temperatura no interior dos ambientes.

Jardim vertical

O jardim vertical é uma das técnicas mais usadas em ambientes pequenos, como apartamentos, aproveitando os espaços disponíveis. A composição ajuda não apenas a embelezar a casa, mas também pode trazer funcionalidade, como a presença de uma mini horta.

Árvores frutíferas

Outra estratégia que tem feito sucesso nos espaços internos são os vasos com árvores frutíferas, especialmente as espécies em miniaturas. Dessa forma, os jardins internos ficam ainda mais atrativos e funcionais. São muitas as espécies que podem ser plantadas em vasos como acerola, romã, jabuticaba, pitaya e limão.

Jardim de inverno

Essa é uma solução excelente para quem não tem muita área externa em casa. Quando bem planejado, o jardim de inverno ajuda a integrar os moradores com a natureza, trazendo sofisticação e leveza — e até criando ótimos espaços de contemplação ou relaxamento.

Paisagismo urbano

Além dessas técnicas, muito usadas em áreas residenciais ou comerciais, ainda existe o paisagismo urbano, que tem como objetivo criar espaços de convívio por meio da integração da natureza com a arquitetura das cidades.

Dentro dessa modalidade, há várias técnicas que podem ser aplicadas, como os telhados e as paredes verdes, que ajudam a reduzir os efeitos das ilhas de calor, além de captarem água da chuva, ajudarem a reduzir a temperatura interna das edificações e muitas outras vantagens.

As áreas de convivência também podem aparecer dentro de empreendimentos, como loteamentos ou bairros inteligentes, ajudando a melhorar a qualidade de vida dos moradores — que passam a ter mais contato com a natureza.

Quais são os benefícios de ter paisagismo no jardim?

paisagismo com plantas e árvores

Agora que já vimos a fundo o que é paisagismo, que tal conferir alguns dos inúmeros benefícios que a técnica é capaz de trazer? Entre eles estão:

  • ajuda a aumentar a produtividade. Um estudo da Universidade de Queensland, da Austrália, mostrou que um escritório decorado com plantas é capaz de aumentar em 15% a produtividade dos funcionários;
  • melhora a saúde física das pessoas que têm contato com a área verde. Um estudo realizado em parceria entre a Universidade de Harvard e o Brigham and Women’s Hospital descobriu que a taxa de mortalidade de mulheres que vivem em áreas mais verdes é 12% menor do que as que vivem em centros urbanos e menos arborizados;
  • promoção do relaxamento mental, estimulando a sensação de bem-estar. Um estudo conduzido pela Universidade de Chiba mostrou que o contato constante com a natureza reduz os níveis de cortisol (hormônio do estresse), reduz a pressão arterial e interfere positivamente no sistema nervoso simpático e parassimpático;
  • purifica o ar, já que as plantas ajudam a filtrar o ar do ambiente e também a aumentar a umidade, o que é muito importante para pessoas alérgicas ou com problemas respiratórios;
  • ajuda a tornar a temperatura do ambiente mais agradável;
  • melhora a ventilação, a estética e o clima dos espaços, o que também contribui para elevar a qualidade de vida e o bem-estar das pessoas que usam essas áreas;
  • projetos paisagísticos urbanos ajudam a tornar as cidades mais bonitas e agradáveis, minimizando o calor e auxiliando na drenagem natural em períodos de chuva, reduzindo os transtornos urbanos, como enchentes, calor excessivo etc.

Como é feito o projeto de paisagismo do Smart Urba?

Já deu para notar como viver em um ambiente com um bom projeto paisagístico faz toda a diferença no bem-estar e na qualidade de vida dos moradores, não é mesmo? No Smart Urba Dunlop, essas questões são levadas muito a sério.

O Smart Urba é um jeito inteligente de viver, inspirado no conceito de smart cities, democratizando a tendência de morar no futuro. Por isso, o Smart Urba proporciona uma integração com o meio ambiente em um planejamento inteligente do espaço, o que significa uma convivência mais segura e harmônica.

A conexão com a natureza é um dos pilares do Smart Urba, com áreas verdes preservadas e um projeto paisagístico que inclui árvores frutíferas e espécies nativas, valorizando a flora local, prolongando a longevidade das plantas e a manutenção do frescor dos ambientes.

Esses espaços são excelentes para ficar próximo à natureza, se exercitar e curtir momentos em família, além de respirar um ar mais leve e saudável.

No Smart Urba, você encontra áreas verdes preservadas, plantio de mudas e conservação do bioma local, ruas arborizadas promovendo mais conforto térmico aos moradores — e projeto paisagístico exuberante que transforma a maneira como as pessoas se conectam com a natureza.

Curtiu conhecer mais sobre paisagismo? Quer viver em um ambiente rodeado de natureza e privilegiando o seu bem-estar? Conheça o Smart Urba Dunlop, um bairro inteligente e planejado para você ser mais feliz, localizado em Campinas, no interior de São Paulo!

Posts Relacionados

Confira 6 regras de convivência necessárias para viver em harmonia com a vizinhança!

Urba
23/06/2021
leia agora
Whatsapp