Gestão de Negócios

O que é fluxo de caixa operacional e como usá-lo na sua empresa?

Aprenda como calcular e o que é o fluxo de caixa operacional Gerenciar o próprio negócio é enfrentar diariamente uma série de desafios.

Urba
Postado em 18/08/2020 - Atualizado em 30 de setembro de 2020

Aprenda como calcular e o que é o fluxo de caixa operacional

Gerenciar o próprio negócio é enfrentar diariamente uma série de desafios. E um deles, sem dúvida, é a vida financeira da empresa. Afinal, são várias as ferramentas utilizadas – e nem todas são de conhecimento comum, como é o caso do fluxo de caixa operacional.

Ainda que muitos empreendedores usem o fluxo de caixa no dia a dia, poucos sabem que existem diferentes versões dessa mesma ferramenta. O fluxo de caixa operacional ajuda o gestor a ter uma visão mais precisa da sua empresa. Quer saber mais e descobrir como usar essa ferramenta no seu negócio? Siga a leitura!

O que é fluxo de caixa operacional?

O fluxo de caixa operacional (FCO) é aquele que utiliza apenas as movimentações relativas às operações da empresa. Ou seja, ele não considera, para efeito de cálculo, as entradas e saídas que não estão relacionadas ao operacional, como custos ou ganhos financeiros.

Assim, podemos entender que o fluxo de caixa operacional é aquele que demonstra os resultados obtidos a partir do fluxo gerado pelas receitas e despesas da empresa dentro de um período. O resultado é chamado de lucro operacional – que também aparece no relatório anual da companhia. Vale ressaltar que ele não contabiliza os investimentos realizados pela empresa e nem a necessidade de capital de giro.

Fluxo de caixa descontado x fluxo de caixa operacional

Algumas pessoas podem confundir o fluxo de caixa operacional com o descontado. O fluxo de caixa descontado é o que determina a valorização da empresa, projetando as riquezas que o negócio terá no futuro.

O modelo descontado cria uma projeção de fluxo de caixa descontando valores com os custos de capital – relacionados aos riscos assumidos por eventuais investidores. Esse tipo de fluxo de caixa é muito usado nos processos de compra e venda de ações ou de cotas de empresas, além de processos de aquisição e fusão.

Para que serve o fluxo de caixa operacional?

mão de homem trabalhando com calculadora no celular e papeis para realizar o fluxo de caixa operacional da empresa

O fluxo de caixa operacional é um dado muito importante e que deve ser analisado de tempos em tempos, pois ele demonstra o quanto de dinheiro a empresa está conseguindo gerar a partir do negócio principal realizado por ela.

No caso das empresas que realizam muitas vendas a prazo, essa ferramenta é ainda mais importante. Nessas situações, muitos gestores costumam lançar as receitas das vendas a prazo nos demonstrativos de resultados, mas o fluxo que provém dessas vendas não ocorre imediatamente. Ele apenas entrará no caixa da empresa meses depois (considerando que não haja inadimplência). Por isso a importância de analisar o FCO.

Não é raro encontrarmos empresas com lucros altos baseados apenas em recebíveis, ou seja, em vendas realizadas a prazo. Caso haja uma crise macroeconômica, esses negócios estarão em uma situação bem frágil, porque haverá um alto risco de calote. Assim, se o gestor analisar o fluxo de caixa operacional, ele conseguirá ter uma visão mais precisa da sua situação.

Mesmo nas empresas que não realizam muitas vendas a prazo, esse tipo de fluxo de caixa é essencial. Isso porque ele ajuda o empresário a entender qual é o mínimo de caixa que o negócio precisa ter para operacionalizar as suas entregas. Então, quando o FCO se mantém positivo, sem muitos desequilíbrios, significa que o que você tem a receber dos clientes e a pagar aos fornecedores tem se mantido estável – o que permite realizar projeções em longo prazo e tomar decisões mais acertadas e embasadas.

Como calcular o fluxo de caixa operacional?

Antes de começar a calcular o fluxo de caixa operacional, será preciso ter em mãos algumas informações como o lucro total, a desvalorização e os impostos.

O lucro total revela o lucro obtido pela empresa dentro de um determinado período. Para calculá-lo, basta subtrair das receitas os custos de produção, a folha de pagamentos e os custos fixos e variáveis, desconsiderando as tributações.

Depois, faça o levantamento de todos os custos associados aos impostos pagos pela sua empresa dentro do mesmo período. Você também deverá ponderar a desvalorização. De posse de todos esses dados, é só aplicar a fórmula:

Fluxo de caixa operacional = (lucro antes dos impostos + desvalorização) – impostos

Exemplo

Ainda está muito difícil? Vamos supor que a sua empresa obteve um lucro de R$ 70 mil e uma desvalorização de R$ 5 mil. Nesse período, o montante referente aos impostos pagos foi de R$ 20 mil. Aplicando a fórmula teríamos:

Fluxo de caixa operacional = (70.000 + 5.000) – 20.000

O resultado seria de R$ 55 mil, que representaria o lucro operacional do período analisado. Esse valor é o quanto de caixa a empresa gerou a partir das suas atividades operacionais.

Usos

O fluxo de caixa operacional deve ser usado sempre que o empresário desejar medir o desempenho financeiro do seu negócio. Esse resultado funciona como uma espécie de demonstrativo, indicando as entradas e saídas de forma mais organizada e ajudando na tomada de decisão.

Análise do resultado

O resultado da conta que ensinamos acima pode ser positivo ou negativo – e entender o que isso significa é fundamental.

Caso seu resultado seja negativo, isso indica que a empresa não está gerando caixa suficiente para cobrir suas operações, o que é bastante preocupante. Ou, ainda, poderá indicar que o negócio está com problemas de contas para receber ou a pagar (como o excesso de vendas a prazo).

Nesses casos, é importante tentar entender onde está o erro para reverter o problema – e o auxílio de um contador experiente pode fazer toda a diferença.

Já se o seu fluxo de caixa operacional está positivo, isso indica que todos os gastos da empresa foram cobertos com a produção, ou seja, a empresa registrou mais entradas do que saídas no período analisado. Assim, o negócio auferiu lucros financeiros, estando no caminho certo.

A importância do controle financeiro

Para conseguir calcular o fluxo de caixa operacional e realizar o planejamento financeiro da empresa para os próximos meses, é fundamental que o empresário tenha controle de todas as questões que envolvem o setor financeiro. Mesmo porque as entradas e saídas são itens básicos para calcular outros tipos de fluxo de caixa.

Quando esse controle financeiro é feito de forma adequada, fica mais fácil visualizar as principais despesas da empresa, quais são os produtos ou serviços com maior demanda, projetar a vida financeira nos próximos meses e tomar decisões mais embasadas.

Então, para conseguir calcular corretamente o seu fluxo de caixa operacional, o controle é imprescindível.

Neste conteúdo, você aprendeu que o fluxo de caixa operacional é o resultado das entradas e saídas financeiras de uma empresa, considerando apenas as movimentações necessárias à operação do negócio. Esse é um indicador muito importante e mostra ao gestor se a companhia está conseguindo gerar caixa suficiente para pagar as suas despesas apenas com a sua operação principal.

Para conseguir calcular adequadamente essa fórmula muitas outras, o controle financeiro é de suma importância, indicando todas as entradas e saídas. Gostou de saber mais sobre o fluxo de caixa operacional? Precisa melhorar o controle financeiro da sua empresa? Baixe a nossa planilha de controle financeiro e comece a gerenciar de forma mais proveitosa o setor financeiro do seu negócio!

Posts Relacionados

Confira 7 dicas de como criar uma fachada de loja atraente

Urba
12/05/2020
leia agora

Saiba o que é o giro de estoque e aprenda a calculá-lo

Urba
14/04/2020
leia agora

7 dicas para fazer um planejamento financeiro empresarial e alcançar o sucesso!

Urba
12/11/2019
leia agora
Whatsapp